Play Trailer

Dona Flor e Seus Dois Maridos

  • IMDb 7.1
  • Indicado ao Globo de Ouro
  • Indicado aos Prêmios BAFTA
Bruno Barreto Comédia 1976 117 min
Assista em casa:
Por que assistir a este filme?

Figura garantida em qualquer lista de grandes clássicos do cinema brasileiro, 'Dona Flor e Seus Dois Maridos' alia uma boa direção de Bruno Barreto, um texto inteligente e cheio de erotismo de Jorge Amado e uma grande interpretação de Sônia Braga e José Wilker, além de uma grande trilha sonora de Chico Buarque.

Dona Flor e Seus Dois Maridos

Título original: Dona Flor e Seus Dois Maridos

Gênero: Comédia Ano 1976 Classificação indicativa: +18

Duração: 117 min País: Brasil

Dona Flor e Seus Dois Maridos

Direção: Bruno Barreto

Produção: Lucy Barreto, Luiz Carlos Barreto, Nelson Porto, Newton Rique, Paulo Cezar Sesso

Roteiro: Jorge Amado, Bruno Barreto, Eduardo Coutinho, Leopoldo Serran

Elenco: Dinorah Brilhante, José Wilker, Mara Rúbia, Mauro Mendonça, Nelson Dantas, Nelson Xavier, Ruy Rezende, Sônia Braga

O filme é: Afetivo, Dramédia, Emocionante, Engraçado, Romântico, Sensível, Sensual, Tragicômico, Desbocado

Perfil: Realismo fantástico, Festivais

Sobre: Morte, Encontros, Fantasma, Vida, Amor, Luxuria, Casamento, Relacionamento, Romanticismo, Sexo

Origem: Brasileiro, Latino-americano

Sinopse Vadinho, o primeiro marido de Dona Flor, morre de infarto. Vagabundo, jogador, gigolô, um porreta, sujeito formidável; assim os presentes se recordam dele durante seu velório. Depois do enterro, Dona Flor lembra de sua vida com o marido. Vadinho era uma criatura sem horário, sem medidas, sem disciplina, mas também um homem maravilhoso, mestre na cama e na vadiação, e que a seu modo amara profundamente Dona Flor.

Obrigado, agora você está inscrito na nossa newsletter!