Filmes de Comédia

Ainda que o cinema de comédia tenha o riso como principal atrativo, os objetivos não poderiam ser mais diversos. Existem filmes besteirol, os que só querem provocar a audiência, os que querem fazer pensar em algum problema social, os que lançam olhares sobre o ser humano. Isso sem falar de estéticas bem particulares e íntimas de comédia.

Woody Allen, por exemplo, aposta há anos em um tipo bem específico de filmes do gênero. Geralmente são triângulos amorosos, em cenários marcantes de Nova York, Paris e até Barcelona. Não há grandes inovações entre um longa ou outro. Mas difícil não se encantar e rir de filmes como ‘Homem Irracional’, ‘Magia ao Luar’ e ‘Um Dia de Chuva em Nova York’.

A partir dessa estética de Allen, vários outros filmes passaram a beber dessa fonte de olhares humanos e personagens em situações complicadas. ‘Cadê Você, Bernadette?’, de Richard Linklater, mostra uma mulher perdendo a noção de sociedade; ‘Quem me Ama, Me Segue?’ explora amor na terceira idade; e ‘Branca como a Neve’, o ciúmes entre mulheres.

Made in Brasil

Não dá para falar de comédia e não falar sobre a produção brasileira do gênero. Ao longo dos últimos anos, vários títulos comandaram as bilheterias do País. A franquia ‘Minha Mãe é uma Peça’, por exemplo, trouxe um humor histriônico de Paulo Gustavo para as telonas. E agradou. Não é à toa que ‘Minha Mãe é uma Peça 3’ levou milhões para as salas escuras.

E é claro, este não é o único sucesso no Brasil. ‘Vai que Cola: O Começo’ causou riso ao falar sobre subúrbios cariocas, ‘Maria do Caritó’ falou sobre personagens tipicamente nordestinos; e Leandro Hassum aproveitou o riso desenfreado com ‘O Amor dá Trabalho’.

Vale ressaltar, ainda, que um novo modelo de comédia está ganhando força no Brasil: são os filmes adolescentes protagonizados por estrelas adolescentes. ‘Socorro! Virei uma Garota’ se debruçou sobre os dilemas de ser mulher com a cantora e atriz Manu Gavassi como vilã. Já em ‘Modo Avião’, Larissa Manoela vive os dilemas de uma vida desconectada.

Para fazer pensar

E lembre-se: o riso também pode causar reflexão. Vários filmes trazem assuntos importantes, e muitas vezes difíceis de lidar, embalados em uma história cheia de espaço para risos e gargalhadas. É o caso, por exemplo, de ‘Jojo Rabbit’, filme indicado ao Oscar em 2020 e que acabou entregando o Oscar de Melhor Roteiro Adaptado para Taika Waititi.

Nele, a narrativa trata o tema do nazismo e do antissemitismo durante a Segunda Guerra Mundial por meio de uma visão inédita: um menininho, que ama Hitler e tem ódio de judeus, mas que precisa lidar com uma garota judia escondida atrás da parede de sua casa. É uma jornada inocente, emocional e que dividiu opiniões. Para alguns, há riso demais na história.

Outro filme que seguiu por esse caminho foi ‘Entre Facas e Segredos’, indicado ao Oscar de Melhor Roteiro Original em 2020. Por meio de uma trama sobre um assassinato, o diretor Rian Johnson fala sobre xenofobia, imigração e um falso moralismo. Tudo isso com um roteiro afiado, que ri de tragédias humanas e de estereótipos vistos em toda sociedade.

E isso comprova: a comédia pode alcançar todos os públicos através de todos os temas possíveis. Assassinato, Segundo Guerra Mundial, subúrbio do Rio de Janeiro, uma mãe superprotetora, triângulos amorosos em Nova York. Basta apenas embarcar na história.

Obrigado, agora você está inscrito na nossa newsletter!